Vida Livre
A História do Papagaio de Cara Roxa

Fantasia e realidade se mesclam no livro “Vida Livre – A história do papagaio-de-cara-roxa”, para sensibilizar crianças e adultos sobre a vida desses animais que, pela sua beleza, correm o risco de extinção.

Dona Caroxa, como personagem principal, não só apresenta um mundo onírico para o leitor poder soltar sua imaginação, acompanhando viagens pela floresta, em busca de alimento e de ninho para reprodução, mas, também, torna-se aquela que revela e detalha o real trabalho de pessoas envolvidas na preservação da espécie, unindo, assim, o lúdico ao utilitário, divertindo e instruindo.

O leitor, independente da idade, viajando no texto e nas ilustrações, terá oportunidade de conhecer, acompanhar e vivenciar a gênese, as ameaças e as ações desenvolvidas para a preservação desse belo integrante da fauna brasileira.

Ilustradora
Kitty Harvill

Especializou-se em arte da vida Silvestre, particularmente sobre espécies em extinção, e trabalha com aquarela, pastel, óleo e papel cortado/colagens. É internacionalmente reconhecida pelos artistas plásticos que se dedicam à pintura de aves. Kitty tem dupla residência, nos EUA e no Brasil, país onde, especialmente no sul, está ativamente envolvida em atividades de conservação e preservação da natureza.

Títulos recentes de livros publicados incluem Up!Up!Up! It´s Apple-Picking Time (Holiday House) e WISDOM – The Midway Albatross (Mims House), a história da ave mais velha do mundo, conforme documentado por anilhamentos. Nascida em Clarksville, Tennessee, Harvill recebeu seu Bachelor of Fine Arts, cum laude, em pintura, da Southern Methodist University, Dallas/Texas, e obteve grau de mestre em Terapia pela Arte, pela Universidade de Illinois, Chicago, e de Associate of Arts em ilustrações, pelo Ray College, Chicago.

 

Escritora
Adelia Maria Woeller

Nasceu em Curitiba (PR), no dia 20 de junho de 1940. Formou-se em Direito, pela Universidade Federal do Paraná, em 1972, quando foi premiada com quatro medalhas, inclusive a de ouro, por haver obtido o 1º lugar curso jurídico noturno. Foi professora (Direito Penal, 1973-1985), na Pontifícia Universidade Católica do Paraná e funcionária da Rede Ferroviária Federal-Regional de Curitiba, onde exerceu funções de relevância, sendo a primeira mulher, na empresa, designada para o cargo de Superintendente Adjunto de Pessoal.

Pertence à Academia Paranaense de Letras (Cadeira nº15); à Academia Feminina de Letras do Paraná (Cadeira nº18); à Academia Paranaense da Poesia (Cadeira nº26); ao Centro de Letras do Paraná (presidente, biênio 98-99); ao Centro-Paranaense Feminino de Cultura, além de integrar várias outras entidades lítero-culturais do Paraná e do Brasil. Seu nome é verbete em dicionários e enciclopédias. Recebeu inúmeros prêmios e homenagens. Sua obra foi objeto de dissertação de mestrado (Profª Clarice Braatz Schmidt Neukirchen) e de pesquisa de pós-doutorado (Profª Níncia Cecília Ribas Borges Teixeira).

Idealizou, organizou, coordenou e editou o livro Infinita Sinfonia, de Helena Kolody (2011). Publicou mais de vinte títulos, entre: poemas, crônicas, ensaio, pesquisa e literatura infantil. Para o público infantil, além dos doze volumes da coleção Valores Humanos (Editora Expressão), em coautoria com Heliana Grudzien, editou: Férias no sítio, A menina do vestido de fitas, A água que mudou de nome, Festa na cozinha – bom apetite, e A Menina que Morava no Arco-Íris, cuja história foi adaptada, por Gil Gabriel, como roteiro do teatro de bonecos criado e apresentado pela Almazem Teatro de Bonecos.