A Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) foi selecionada no edital do Disney Conservation Fund (DCF), que apoia projetos de conservação da natureza. O incentivo reconhece o esforço do Projeto de Conservação do Papagaio-de-cara-roxa, iniciativa da SPVS com parceria da Fundação Pan-Americana de Desenvolvimento (PADF) para preservar a população da espécie.

O papagaio-de-cara-roxa existe apenas no Brasil, numa estreita faixa do Bioma Mata Atlântica do litoral do Paraná ao litoral sul de São Paulo. O projeto começou em 1998 e, em 2014, a espécie saiu da categoria “vulnerável” na Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção, organizada pelo Ministério do Meio Ambiente. Hoje, o papagaio-de-cara-roxa é considerado “quase ameaçado”.

Para a bióloga Elenise Sipinski, coordenadora do projeto, o apoio de uma Fundação com influência global e identificada com os jovens é importante para aproximar a sociedade da proteção do Bioma Mata Atlântica. “O papagaio-de-cara roxa é uma espécie que depende de um ambiente bem conservado e da eliminação da sua principal ameaça, a retirada de filhotes da natureza”. Esse projeto vem sendo uma oportunidade de estimular os jovens do litoral sul de São Paulo a realizarem ações de conservação da região do lagamar e de proteção do papagaio-de-cara-roxa, explica a pesquisadora.

Segundo Luisa Villegas, subdiretora sênior de programas da PADF, “com o apoio da Disney, nossos parceiros no Brasil são capazes de garantir a sobrevivência da espécie, ao mesmo tempo em que trabalham com ações de educação para a população”. “A PADF tem o prazer de continuar e expandir o nosso trabalho no Brasil através desta importante parceria com a SPVS”, realçou.

Desde 1998, o projeto atua no litoral do Paraná monitorando sítios reprodutivos e realizando ações de educação para conservação. A partir de 2013 ampliou suas ações, realiza anualmente o censo do papagaio-de-cara-roxa em toda área de ocorrência, bem como o monitoramento de ninhos no período reprodutivo. O projeto organiza ainda atividades de educação para conservação com jovens e cursos de formação para professores da rede pública de ensino das cidades próximas às áreas naturais. Os pesquisadores também levam para a região ações culturais, como exposições de arte sobre a Mata Atlântica e um livro infantil sobre a história do Papagaio-de-cara-roxa. Segundo Elenise Sipinski, essas são as atividades que devem receber o maior investimento, porque ajudam a combater a retirada das aves para o comércio ilegal e a destruição das florestas, os maiores riscos à espécie. Para a realização dessas atividades, o projeto conta com o apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e Fundação Loro Parque.

O Disney Conservation Fund é um fundo privado com o objetivo de reverter o desaparecimento de espécies da fauna e incentivar o contato de crianças com a natureza. Desde sua concepção, em 1995, o DCF já distribuiu aproximadamente 45 milhões de dólares para apoiar programas de conservação em 115 países. Os Projetos foram selecionados para os prêmios baseado em seu esforço em estudar a vida selvagem, proteger habitats, desenvolver a conservação nas comunidades e realizar programas educacionais em ecossistemas ameaçados.

Para mais informações sobre o Disney Conservation Fund acesse: www.disney.com/conservation

Sobre a SPVS

Fundada em 1984, em Curitiba, Paraná, a SPVS – Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental já desenvolveu centenas de projetos em vários estados do Brasil. É reconhecida como uma das mais importantes organizações não-governamentais brasileiras que trabalha pela conservação da natureza. Conheça a SPVS em www.spvs.org.br

Sobre a PADF

A Fundação Pan-Americana de Desenvolvimento (PADF, por suas siglas em inglês) é uma organização sem fins lucrativos afiliada à Organização dos Estados Americanos que reúne diversas instituições interessadas em melhorar os meios de subsistência, empoderar comunidades, fortalecer a sociedade civil, apoiar os direitos humanos, proteger o meio ambiente e reagir a desastres naturais na América Latina e no Caribe. www.padf.org

Sobre a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza

A Fundação Grupo Boticário nasceu em 1990 como uma das primeiras instituições ligadas à iniciativa privada voltadas à conservação da natureza no Brasil. As atividades da fundação iniciaram com o apoio a iniciativas de outras instituições, se tornando uma das principais financiadoras de projetos ambientais do país. Atualmente atuando em todas as regiões do Brasil, desenvolve também ações próprias. É parceira do projeto de conservação do papagaio-de-cara-roxa desde seu início. www.fundacaogrupoboticario.org.br

Sobre a Fundação Loro Parque

A Fundação Loro Parque atua desde 1994 em favor do bem-estar animal e da conservação da biodiversidade. Sua área de atuação se concentra em Tenerife, nas Ilhas Canárias, mas também conseguem estar presentes em muitas partes do mundo graças à colaboração com outras instituições. Esse trabalho permitiu alcançar comunidades locais onde se encontram espécies realmente ameaçadas. Apoia ações do projeto de conservação do papagaio-de-cara-roxa desde 2005 de forma interrupta. www.loroparque-fundacion.org